Terra de Gigantes 2011 – Parati/RJ

O sábado da Expedição Terra de Gigantes amanheceu nublado, clima bacana para se correr uma prova que prometia ser duríssima!
A Equipe Brou Aventuras/Ultrasport estava com uma formação inédita, já que a Fabíola de Freitas (da equipe Sempre Viva, de MG) veio para nossa equipe e juntou-se a mim, ao Thiago Brou e ao Pedro Pinheiro! Formação forte, mas nunca tínhamos corrido juntos e estávamos todos na expectativa, especialmente em relação ao desempenho da Fabi.
Fomos para a largada animados e felizes por estarmos ali, no meio de todas as equipes Top (7 das Top10 do RBCA estavam lá) da Corrida de Aventura do Brasil! Nosso objetivo era ficar entre os 10, mas de repente se ficássemos entre os 5 seria uma vitória inacreditável!
Largada de Duck, sofrimento no mar, largamos engatados e logo vimos que não era uma boa. Na portagem soltamos e remamos eu e o Brou e o Pedro e a Fabi! Passamos logo umas 2 equipes e saímos da 1ª perna de canoagem entre as 5. O sonho estava começando!
Saímos para o trekking numa carniceria maluca, forçando o ritmo e em pouco tempo a Lobo Guará encostou e acabou passando. Acertamos bem a navegação e batemos o PC2 em 4º. Mais corrida com visuais incríveis do Saco do Mamanguá. Com pouco tempo nos alcançou uma das favoritas à prova, a Brou Aventuras/Ativo.com e forçamos para ir junto com eles até a transição para a bike.
Chegamos lá em 5º e logo vimos que vinha um pelotão grande atrás da gente, e na transição as posições se inverteram um pouco e acabamos saindo um pouco para trás. Sofri muito no início do pedal, com enjôos e tonturas, pedalando devagar e aos poucos outras equipes foram chegando. Dei uma desanimada porque a bike é nossa modalidade mais forte e mesmo assim não conseguíamos render bem. Estava foda!
No PC4 chegamos embolado com a Trotamundo e a Competion Aroeira, e seguimos fazendo nosso ritmo de prova. Começamos um empurra bike na lama, bikes sofrendo, atletas nem se fala, forçando para acompanhar o pelotão. Chegando no PC5 para nossa surpresa éramos as primeiras equipes a passar ali! Moral lá no céu, imprimimos um ritmo mais forte no pedal e acertamos perfeitamente a navegação, chegando no PC6 ainda como líderes.
Ali começava o ponto crítico da navegação da bike, e num momento em que tentamos dar o famoso “pulo do gato” acabamos errando uns 15 minutos e fomos ultrapassados pelo 1º pelotão da prova: Selva, OsKalunga e Gantuá, e a Trotamundo um pouquinho atrás. Víamos as luzes da galera nos altos dos morros à nossa frente e continuamos no nosso ritmo, empolgados por estar entre os 5 naquela altura da prova.
Outra transição e nela o alivio de terem cancelado a tirolesa. Estava muito frio e eu vim no fim do pedal preocupado com alguém da equipe ter hipotermia e problemas no trekking monstruoso que nos aguardava!
Aquela energia massa da galera na transição, roupas secas e comida e vambora pra escalada! 1800m de desnível que vencemos com incrível bom humor, cantando, batendo papo e contando piada! Fora as lições de inglês do Brou para a Fabi, que certamente deve ter pensado: Tem chovido!!
Na subida final para o Pico da Macela vimos algumas equipes ameaçadoramente próximas, e tememos pela perda do nosso tão sonhado 5º lugar! Descemos a descida sem fim quase sem parar, num ritmo um pouco lento, mas constante! Chegando no asfalto eis que nossa corrida teria que recomeçar: a Makaíra passou passando, correndo e nossa equipe ficou meio que sem reação. Uns 3 minutos depois pensamos melhor e decidimos não deixar barato nossa posição. Aí foi mais ou menos assim: trota galera, arruma já os coletes, trota galera, toma água, toma gel, trota, arruma as mochilas, trota que vamos chegar e entrar nos ducks e dar braçada até sair sangue nos olhos! Brutalidade máxima ativada outra vez!
Chegamos quase juntos na transição e o que fez a diferença foi realmente termos arrumado as coisas antes de chegar lá! Conseguimos sair na frente da Makaíra e forçamos até o limite para chegar na frente! 2h30 de tensão, de olhar para trás, de incentivar, de curtir, de se superar e no fim, de comemorar incrivelmente! 24 horas alucinantes!
Foi uma jornada realmente especial, ter chegado tão bem em uma Corrida tão disputada, ficamos tão felizes com o 5º lugar como os vencedores, tenho certeza!
Homenagem especial à força incrível da Fabi, realmente uma mulher de fibra e raça! Em muitos momentos ela estava mais forte que eu e o Pedro! Bruta demais! Ao restante da equipe, nem preciso falar do prazer imenso que tenho ao correr com meu irmão Brou e semi irmão Pedro Pinheiro!!
Nos vemos em outras aventuras! Faltam 20 dias para nossa 3ª Etapa! Esperamos fazer um evento tão bacana quanto Philipe Campelo e Cia conseguiram fazer em Paraty! Mais info em WWW.brouaventuras.com.br!

Zé Elias, capitão da Equipe Brou Aventuras